O nosso Deus é o Deus das surpresas

O nosso Deus é o Deus das surpresas

Com os votos de uma Santa Páscoa, assinalamos a homilia do Papa Francisco na Missa da Ressurreição do Senhor.

O nosso Deus é o Deus das surpresas. As mulheres correm ao sepulcro para ungir o Senhor e são surpreendidas porque a Ressurreição é uma superabundância inimaginável como resposta à dor, à perplexidade, à morte. E correm. Diz o Papa, correm elas, correm Pedro e João…

A surpresa é, claro, a “inesperada” Ressurreição mas não só como dado factual! A Ressurreição inesperada é também resposta surpreendente, inimaginável, inconcebível nas medidas dos anseios e perplexidades dos corações atribulados. Então, surpreendidos por Deus de forma impensável, põem-se a correr depressa para responder à iniciativa surpreendente do seu Jesus, que volta à vida hoje para lhes dar vida, hoje e para sempre.

As surpresas de Deus fazem-nos correr depressa? Ou ficamos ali, a dizer amanhã veremos…? O Papa desafia-nos…  “E tu, o que fazes esta Páscoa?

Possamos nós correr depressa a responder às surpresas de Deus. Hoje.

Catarina Almeida