Uma pedagogia de encontro

Uma pedagogia de encontro

“A filosofia marxista introduziu como base de valor o trabalho. Toda a vida hoje se avalia pelo seu rendimento e a sua eficácia. A sociedade «técnica» dos nossos dias assemelha-se à do tempo em que os Filhos de Caim – técnicos de então – construíam a Torre de Babel. Eles pretenderam unir os homens pela ciência… Mas Deus quer que a união se faça humildemente no espírito  de abertura mútua e de fraternidade humana. E a torre ruiu.”

 

Maria Ulrich, 1966. Mil novecentos e sessenta e seis. Há mais de cinquenta anos, Maria Ulrich escreve o editorial do Jornal da Escola de Educadoras e põe a tónica na urgência de superar o individualismo, o homem-técnico, a pessoa-competência.

E aqui estamos nós, passado meio século, imersos numa sociedade fascinada com a ciência e com a técnica, que enche a escola de competências, de perfis, de capacidades, na ilusão que as crianças e os jovens de hoje serão, por isso, tecnicamente capazes de enfrentar o futuro. Os filhos de Caim também achavam. E a torre ruiu.

Em 1979, Maria Ulrich afirmava corajosamente que “nunca se propôs formar técnicas (…). Pretendeu sempre formar acima de tudo valores humanos, com um projecto de vida a propor.”. Para formar valores humanos, a Maria foi ao encontro. Não pretendeu unir os homens pela ciência, nem pela técnica. Foi ao encontro do melhor que cada pessoa tinha para oferecer, valorizando tudo, elevando tudo, melhorando tudo. E, assim, educou outros e outras, que se tornaram capazes de ir ao encontro dos mais novos, ajudando-os a crescer “na máxima realização da sua personalidade”.

Uma pedagogia de encontro é a maior urgência da educação do século XXI. E do que se trata? De uma abertura que procura a verdade do outro, de um acolhimento que nos abraça como somos e nos faz desejar ser melhores, de um diálogo que nos surpreende pela novidade que traz ao que já conhecíamos.

Para assinalar os trinta anos da FMU, nada melhor que oferecer encontros com pessoas que nos trazem horizontes novos, verdadeiros, bonitos. É isso que queremos no dia 24 de novembro e ao longo de 2019.

Queremos encontrá-lo a si. Reserve já o seu lugar!