Que luz para esta festa?

Que luz para esta festa?

© Leonid Afremov

Todos os anos por esta altura começamos a ser inundados por uma “febre” que nos é “impingida” por todos os lados: a celebração do Halloween.

Creio que é útil perceber as origens e os motivos desta celebração, para saber se a queremos assinalar e festejar!

Numa rápida pesquisa pela internet percebemos que esta festa tem origem no povo celta e tem como principal objetivo a celebração do final do ano celta; nesse contexto, acreditava-se que os mortos viriam apoderar-se dos corpos dos vivos, daí a utilização dos disfarces relacionados com morte. Esta festa sempre esteve ligada à celebração das trevas e da morte.

Desde a Idade Média que a Igreja condena este evento pagão com ritos de natureza demoníaca. Por que razão? É que para os cristãos vale mesmo a pena celebrar a vida e a luz, e não certamente a morte e a escuridão!

Para os cristãos, a verdadeira festa é no dia 1 de novembro! O amor de Deus é festejado na companhia de todos aqueles que sabemos que estão no Céu, na comunhão de Todos os Santos… Tradicionalmente nalgumas terras é altura de as crianças percorrerem as ruas da sua vizinhança pedindo o “Pão por Deus”, humildemente. Esta tradição, sobretudo na região de Lisboa, ganhou um maior significado após o Terramoto de 1755, que ocorreu precisamente no dia 1 de novembro. Muitas pessoas nessa altura pediram aos sobreviventes das regiões que partilhassem um pouco do que tinham com aqueles que perderam tudo.

Com os nossos filhos e alunos, se calhar vale a pena pensar o que queremos festejar…

João Coelho