Formação

" Julgo que educar – em qualquer idade – é fazer crescer... É uma chamada à superação que vem despertar um eco inconsciente no educando. Todos nós fomos criados para ser deuses. É essa a proposta do Evangelho: «Sede perfeitos como o Meu Pai que está no céu é perfeito». Perfeito, não no sentido de ser «virtuoso», de suprimir defeitos que nos pertencem, tal como quem suprime um vírus com um antibiótico, mas no sentido de os sublimar e de atingirmos o máximo de que somos capazes, de visarmos, enfim, atingir a plenitude do nosso ser na integridade, na generosidade, na capacidade de realização e no entusiasmo!

Havia uma frase que, na Escola, algumas alunas repetiam sempre para definir o objectivo da sua acção educativa: «Desenvolver todas as potencialidades da criança». Devo confessar quanto esta frase me crispava pelo que aparecia como um frase feita e repetida de cor. Chamadas a concretizar, as alunas citavam o desenvolvimento mental, social… faltando-lhes sempre o essencial, o tal «invisível», que é o que importa: a construção interior assente naquela escala de Valores que se aprende a «apreciar» afectivamente na infância, que se vai consciencializando à medida que crescemos e em que baseamos todo o nosso comportamento, a nossa maneira de ser e de reagir. Viver é escolher. Escolhemos de acordo com os nossos Valores"
Maria Ulrich

É este o desafio de Maria Ulrich, é esta a aposta da FMU.

A formação contínua de adultos visa potenciar o desenvolvimento permanente dos educadores como seres humanos, nas dimensões profissionais e pessoal. Nesse sentido, a formação em variadas áreas procura responder às necessidades formativas que permitem “construir o invisível” a que se refere Maria Ulrich.

parallax background
"Julgo que educar – em qualquer idade – é fazer crescer..."

Maria Ulrich