Não queres multiplicá-las em muitas mais?, por Letizia Ortisi

4 ou 5 espirros, por Catarina Almeida e Letizia Ortisi
08/02/2021
O mais precioso dos milagres, por Catarina Almeida
01/03/2021
Ver tudo

Não queres multiplicá-las em muitas mais?, por Letizia Ortisi

O Pinóquio consegue sair incólume do teatro de Papa-Fogo. Aliás… Sai de lá todo contente e com cinco moedas de ouro no bolso! Que grande tesouro, que grande surpresa para o seu pai! 

O boneco já estava a sonhar com o casaco maravilhoso que ia comprar ao Gepeto e o seu livro de leitura novo, quando encontrou “uma raposa coxa e um gato cego de ambos os olhos”. 

Quem é que são estes dois animais? O Pinóquio, no caminho da sua liberdade, encontra o mal. Ele já conhece muito bem o seu próprio mal, mas ainda não sabe que existe o mal exterior, aquele que podemos encontrar na rua, na escola, no trabalho, à porta do teatro das marionetas!

…Cinco míseras moedas de ouro? Tu não queres multiplicá-las em muitas mais?

É sempre assim, o mal usa as mesmas coisas do bem, a mesma realidade, – porque nunca iremos escolher algo feio em vez do bem – mas vê tudo com um filtro que transforma e distorce o mundo. De repente, as cinco maravilhosas moedas de ouro, que o Pinóquio ia levar ao pai para mudar a vida deles, são somente as cinco míseras moedas que o gato e a raposa apontaram.

A realidade, que era tão positiva até um instante atrás, é desvalorizada e tornada mísera, sem possibilidade de fazer render os talentos que nos foram oferecidos. 

Então por que motivo o Pinóquio quer ir atrás do gato e da raposa? Por que motivo é que nós vamos atrás do mal?

Porque é, na aparência, um bem maior e mais fácil de se conseguir. 

…Vamos, plantas as moedas, esperas um bocadinho, vai crescer uma árvore de moedas e vais ser rico…

O Pinóquio não pode acreditar, será assim tão fácil? E posso ser rico e ajudar o meu pai?   

Todos sabemos que é um grande engano dos dois animais que querem roubar as cinco moedas ao pobre boneco, mas e para nós? Como podemos não ser enganados e constantemente atraídos por falsos bens? 

O que nos “salva” é termos os olhos a brilhar porque alguém nos deu cinco moedas de ouro… Isso é um milagre! Não precisamos de um Campo dos Milagres onde crescem árvores de moedas. Não precisamos de pedir nenhum milagre. Não precisamos de esperar em nenhum milagre. Precisamos, sim, perceber que tudo o que existe é um milagre!
Ao acompanhar o Pinóquio até à terra dos Patetas, veremos como acabar com o filtro que distorce o mundo e pedir para nós e para os que amamos um olhar mais puro e verdadeiro para as nossas “cinco moedas”.

Letizi Ortisi